Por Katharyne Bezerra em 04/07/2016

Se você pensa que as emoções só afetam o psicológico, saiba que estas têm um poder ainda maior no organismo. Isso porque, os sentimentos podem transparecer através de imperfeições na região cutânea. Assim, uma simples acne pode sugerir que o indivíduo está passando por situações estressantes, das quais ele não consegue avançar. Já uma pele limpa, sem espinhas ou oleosidade, pode ser sinal de vida tranquila e felicidade. Estas evidências podem ser explicadas com melhor eficácia pela psicoterapia, uma forma de atendimento que usa a psicologia para tratar problemas comportamentais, emocionais, cognitivos entre outros.

De acordo com a psicoterapeuta Maura de Albanesi, mestre em psicologia e religião pela Pontifica Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), as emoções interferem no psicológico e, muitas vezes, não são recebidas e trabalhadas de forma saudável. Por esta razão, surgem os problemas na pele, como uma alerta de que existe alguma dificuldade interna.

Problemas de pele devido a repressão dos sentimentos

A acne é apenas uma das demonstrações de que determinada pessoa não consegue expor seus sentimentos da forma que deseja. Desta forma, Albanesi afirma que este surgimento é uma forma do organismo de reagir à repressão. “Podemos pensar que se trata de um alerta do corpo, como se ele apontasse esse conflito em que a pessoa vive, no caso, dizer uma coisa e querer expressar outra. O nosso corpo sente e reage de forma negativa”, explica.

Outras doenças que afetam a região cutânea também podem ser respostas do corpo às emoções reprimidas, como é o caso da pitiríase e da psoríase. Para a psicoterapeuta, esta primeira está relacionada “à quantidade de ira e raiva que a pessoa guarda e, por isso, a pele ganha manchas”. Já quando o paciente apresenta a psoríase, Albanesi destaca que isso se deve ao fato das pessoas não se posicionarem de maneira verdadeira sobre aquilo que acreditam e desejam. Como ocorre um silenciamento, o corpo busca formas de se expressar e, por isso, ocorrem estes problemas.

Você sabia? Preocupações e estresses podem causar danos à pele

Foto: Depositphotos

Ligação entre o estresse e a acne

Atualmente, é quase impossível encontrar alguém que não sofra com o estresse. Problemas sem solução, trânsitos longos, atividades acumuladas ou até mesmo coisas bobas como perder um ônibus. Todos estes fatores criam uma atmosfera de preocupações na vida do indivíduo, que por não conseguir se posicionar e resolvê-las, afunda-se em pessimismos, estresse e muito desânimo.

“O(a) estressado(a) tenta controlar ao máximo e segurar a situação. Podemos pensar que a acne é uma representação, como se fosse uma espécie de explosão interna que mostra que a pessoa não está dando conta das situações”, pontua Albanesi. Ainda segundo a psicoterapeuta, a única forma de se livrar deste esgotamento psicológico é fazer uma autoavaliação de como o paciente anda se cobrando no dia a dia. “Seria transformar o ‘tenho de fazer’ em ‘o que eu quero fazer e o que eu posso fazer’, sem se sentir uma pessoa incapaz e ineficiente”, complementa.

Pele bonita é sinal de felicidade?

A psicoterapeuta ainda explica que, da mesma forma como sentimentos ruins e a repressão de outras emoções causam aspectos desagradáveis na pele, a felicidade e contentamento podem ser assimilados de forma positiva pela região cutânea. Por esta razão, é importante se manter tranquila diante das adversidades da vida.

“O nosso corpo reflete o nosso estado de alma. As pessoas mais felizes têm um brilho na pele, que fica mais suave, lisa e menos tensa. A pessoa sorri mais e, com isso, exercita algumas partes do músculo facial, que vão drenar toda essa energia contida. Temos sim uma aparência de leveza. Assim como uma pessoa que saiu de férias e conseguiu relaxar, ela volta mais serena às atividades e rotina”, conclui Albanesi.

Veja mais!