Por Natália Petrin em 15/09/2015

As verrugas na área genital são um dos sintomas das DST’s, como o HPV, que é transmitido principalmente durante a relação sexual. Tais sinais na pele, no entanto, nem sempre são sintomas desse vírus, podendo não indicar uma doença sexualmente transmissível.

As verrugas genitais podem ter aparência pequena, como caroços com coloração de carne ou ainda na aparência de uma couve-flor, e podem ser tão pequenas a ponto de não serem vistas a olho nu. Daí a importância dos exames regulares.

Causas

A principal causa é realmente o HPV que, ao contrário do que se pensa, não é transmitido apenas pelo ato sexual, mas também pelo contato de pele com pele, entre outras possíveis formas que ainda estão sendo estudadas. O vírus pode causar, além das verrugas, o câncer de colo uterino. As feridas indicam outras doenças sexualmente transmissíveis, como é o caso da herpes e da sífilis, mas nem sempre as verrugas indicam DST’s.

Verruga na área genital é sempre uma DST ou não?

Foto: Reprodução/ internet

Muitas pacientes, segundo a ginecologista e obstetra Thalia Reis, confundem as verrugas na vulva ou na vagina ou afecções mais simples, como os nevos – sinais escuros –, foliculite – causada por pelos encravados e espinhas –, entre outros problemas.

Diferenciação

Quando causada por HPV, as verrugas aparecem na vulva, dentro do canal vaginal ou na região anal. Podem também aparecer lesões na garganta, oriundas do sexo oral.

Quando houver o aparecimento de verrugas, é essencial procurar ajuda médica e evitar fazer diagnósticos por conta própria. A maioria dos casos pode ser identificada a causa por meio de exame físico em consultório médico, de acordo com a aparência da lesão. Tal aspecto, junto aos sintomas faz com que o profissional forme o diagnóstico.

As verrugas causadas pelo HPV são, normalmente, avermelhadas ou rosadas, além de moles, e outras DST’s apresentam úlceras, e não verrugas. O médico pode, no entanto, solicitar exames complementares que ajudam a diferenciar as causas.

Fatores de risco

Estima-se, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), que pelo menos metade das pessoas sexualmente ativas serão, em algum momento da vida, contaminadas pelo vírus HPV genital. Os fatores que aumentam os riscos, portanto, envolvem relações sexuais desprotegidas com múltiplos parceiros ou parceiras, ter outras infecções sexualmente transmissíveis, ter relações com um parceiro de que se desconhece a história sexual e também tornar-se sexualmente ativo ainda muito jovem.

Como é feito o tratamento?

Antes de mais nada, é preciso procurar um especialista para que o diagnóstico seja feito corretamente. Quando se trata de verrugas por HPV, o tratamento se dá por meio de uma cauterização com agentes químicos, ou quando são grandes demais ou resistentes, são removidas por meio de cirurgia.

Lesões que não são causadas pelo HPV, podendo ou não ser causadas por outras DST’s, podem ser tratadas por meio de medicamentos.

Cuidados

A atividade sexual, ao notar o aparecimento de verrugas, deve ser interrompida de forma que seja feita a avaliação e diagnóstico. Se for causada pelo HPV ou outras DST’s, pode causar contaminação dos parceiros.

Veja mais!