Publicado por Pollyana Batista

Os problemas dermatológicos tendem a se intensificar no verão. As altas temperaturas e a umidade podem causar não só doenças graves, como o câncer, quanto incômodos estéticos, como manchas. O dermatologista e professor Marcus Maia, explica quais são os principais riscos para a saúde nessa estação.

1. Quais são os principais problemas para a pele trazidos com a exposição ao sol?

Segundo o dermatologista, nesta época do ano aumentam as atividades ao ar livre e os banhos de mar e piscina. Com isso, a exposição solar da pele passa a ficar mais intensa. Os principais problemas que podem surgir são queimaduras, envelhecimento precoce e o temido câncer de pele, que faz 135 mil novos casos todos os anos no Brasil, de acordo com informações do Instituto Nacional do Câncer, o INCA.

Verão! Cuidados com a pele que você deve ter. Dermatologista tira dúvidas

Foto: depositphotos

2. Qual é a melhor proteção para a pele?

O especialista afirma que o protetor solar é o melhor aliado na hora de proteger a pele do sol. Mas para sua eficácia total, as pessoas precisam aplicá-lo corretamente e saber o momento certo de repetir a ação. “O simples fato de entrar na água já faz com que você perca cerca de 50% da proteção do filtro solar. Então, o ponto principal é reaplicar corretamente a cada uma hora e sempre que sair da água”, explica.

3. Algumas pessoas são mais vulneráveis aos efeitos do sol do que outras?

O professor afirma que existe um grupo de risco que são mais sensíveis aos efeitos da exposição solar. Essas pessoas são brancas, com cabelos e olhos claros, com manchas ou sardas e que possuam histórico de câncer de pele na família. Já as crianças, independente dessas características pertencem ao grupo de risco.

4. Quais outras ferramentas garantem mais proteção?

Além do protetor solar, é importante proteger a cabeça, pois muita gente esquece que o couro cabeludo também sofre com o sol. Por isso, é fundamental o uso de chapéus, bonés ou qualquer coisa que isole essa área dos raios diretos. Vale o uso de guarda-sol ou sombrinhas.

5. É verdade que o mormaço também queima?

De acordo com o dermatologista, “o mormaço queima quase a mesma coisa que o sol, pois as nuvens claras não têm força suficiente para proteger dos raios ultravioleta. Por isso, não basta ficar em baixo de guarda-sol. É importante lembrar que a luz é refletida na areia e queima praticamente da mesma forma. As pessoas não devem abrir mão da utilização do filtro solar”, enfatiza o médico.

Veja mais!