Por Débora Silva em 03/11/2015

Os adeptos de uma alimentação saudável já costumam seguir uma orientação comum: incluir os alimentos integrais no cardápio, em substituição àqueles produzidos com farinha branca.

Com a popularização dos alimentos feitos com farinha integral, existe uma enorme variedade destes produtos nas prateleiras dos supermercados, mas será que todos eles são realmente o que dizem ser?

O que é um alimento integral?

Os alimentos integrais são aqueles que não passaram pelo processo de refinamento ou industrialização, sendo, portanto, o alimento em sua forma íntegra. São, em geral, cereais como arroz, trigo, centeio e aveia, suas farinhas e alimentos como pães, bolos e biscoitos.

Nos alimentos não refinados, ou seja, integrais, são conservadas a casca, o farelo, película protetora do grão e todos os seus nutrientes, tais como vitaminas, minerais, fibras e compostos bioativos.

Saiba como identificar se o alimento é verdadeiramente integral

Foto: Pixabay

Justamente por não passarem pelo processo de refinamento e manterem os seus nutrientes, os alimentos integrais são mais saudáveis que alimentos refinados.

Por ser rico em fibras, o alimento integral proporciona diversos benefícios à saúde, como a melhora do funcionamento do intestino, redução do nível de insulina no sangue e a redução da taxa de colesterol ruim, além de aumentarem a sensação de saciedade.

Como saber se determinado alimento realmente é integral?

O problema é que, para um alimento ser integral, não basta ter um selo “integral” na embalagem. Trata-se de uma falha na legislação, pois a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável pela fiscalização, não estabelece valores mínimos para a fabricação dos alimentos. Desta maneira, se o produto utiliza qualquer quantidade de farinha integral ou sementes, já é permitido que a marca o identifique como integral, tenha 5% ou 100% de farinha integral em sua composição.

Um produto pode conter muitos grãos (chia, linhaça, quinua, centeio), ter cor mais escura (dando a impressão de que não foi feito com farinha branca) ou incluir frutas e oleaginosas e não ser, de fato, integral.

Mas, como escolher um alimento que é verdadeiramente integral? A dica é estar atento às pequenas letras do rótulo do produto, em geral no verso da embalagem, próxima à tabela nutricional. De acordo com as normas estabelecidas pela Anvisa, a lista de ingredientes deve vir em ordem decrescente de quantidade, ou seja, o primeiro da lista é o que tem em maior quantidade no alimento.

Primeiramente, o consumidor deve conferir o rótulo de um pão integral, por exemplo, e reparar se ele foi produzido com farinha de trigo integral ou se ele apenas contém grãos integrais. Caso ele realmente possua a farinha de trigo integral em sua composição, mas também tenha a branca, é preciso verificar qual aparece primeiro nos ingredientes.

Veja mais!