Por Lilian Druzian em 21/11/2011

Aquele período crítico antes da chegada da menstruação pode levar algumas mulheres e as pessoas com quem convive, à loucura, já que as instabilidades hormonais causam uma verdadeira montanha-russa de emoções que desestruturam e se refletem em reações inesperadas, que podem interferir no seu dia a dia negativamente.

 A TPM é uma desordem neuropsicoendócrina, seus sintomas afetam a mulher em setores diversos, como a esfera biológica, psicológica e social.

Hoje em dia, acredita-se que seja através das funções do ovário que o gatilho dos sintomas de TPM seja disparado, pois alteraria a atividade da serotonina, um neuro transmissor importante, mas, são mais de 120 sintomas que podem ocorrer (não todos juntos! Não se assustem!), então, as causas também variam, incluindo o estresse e a má alimentação como fatores importantes.

Sintomas da TPM

Quais são os sintomas da síndrome?

Sintomas da TPM

Vamos enumerá-los por ordem de frequência:

  • Dor abdominal (cólicas);
  • Mastalgia (aumento e dor nas mamas);
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga;
  • Irritabilidade (nervosismo);
  • Tensão;
  • Depressão (dificuldade de concentração e insônia);
  • Apetite alterado (vontade de comer alguns alimentos como chocolates, comidas salgadas ou doces);
  • Hipersensibilidade aos estímulos;
  • Retenção de líquidos;
  • Raiva;
  • Choro fácil;
  • Palpitações e tonturas.

A tensão pré-menstrual pode ser tratada, mas o ideal são os chamados tratamentos alternativos, ou naturais, além de prevenção. Os tratamentos medicamentosos podem ser válidos, desde que em casos graves.

Veja como se pode prevenir a  TPM

  • Diminuindo a ingestão de certos alimentos, como: gorduras, sal, cafeína e açúcar;
  • Fracionar as refeições, alimentando-se mais vezes, em pequenas porções;
  • Ingerir mais cálcio (o iogurte é uma das deliciosas fontes);
  • Ingerir mais magnésio (presente, por exemplo, no espinafre);
  • Reduzir a quantidade de álcool ingerida;
  • Reduzir o consumo de cigarro;
  • Manter uma atividade física, preferencialmente aeróbicos, 3 vezes por semana;
  • Aprender a lidar com o estresse.

Veja mais!