Por Tailane Paulino em 25/02/2019

O preenchimento labial é um procedimento estético que serve para deixar os lábios com uma aparência mais jovem ou carnuda. Por isso, está sendo um dos mais procurados pelas mulheres nos últimos anos. Afinal, não é de hoje que os lábio carnudo faz sucesso.

No entanto, com a popularização do método, vários mitos acabaram sendo disseminados. Deixando os interessados confusos sobre o que é verdade e o que não é.

Pensando nisso, o Garota Beleza preparou um artigo completo explicando tudo o que você precisa saber antes de fazer um preenchimento nos lábios. Continue lendo para descobrir quais os tipos existentes, os cuidados e as contraindicações.

Além disso, você também vai ver as respostas para os 10 principais mitos e verdades sobre o procedimento, para acabar de vez com o medo das agulhas. Confira.

O que é o preenchimento labial?

O preenchimento labial é considerado um procedimento estético. Ou seja, ele é bem menos invasivo para o corpo que uma cirurgia e possui resultados temporários e reversíveis.

Agulha nos lábios

O preenchimento labial possui resultados temporários e reversíveis (Foto: depositphotos)

O processo pode ser feito com o auxílio de uma agulha ou cânula, que é um pequeno tubo de plástico ou borracha. Esses utensílios servem para injetar a substância, que costuma ser ácido hialurônico, no tecido dos lábios.

O preenchimento pode então ser feito em várias partes dos lábios. Dessa maneira, é possível apenas delinear os contornos, que apagam com o avanço da idade, ou aumentar o volume e deixá-los com a aparência mais lisa. Tudo vai depender do resultado pretendido e da experiência do profissional escolhido.

Mitos e verdades sobre o procedimento

É algo comum sempre que algum procedimento ou tratamento estético fica famoso, alguns mitos começarem a seguir sobre ele.

Com o preenchimento labial isso não foi diferente e ao longo dos anos a técnica foi bastante mistificada por pessoas que não possuem muito conhecimento sobre todo o processo.

Para acabar de vez com isso e ajudar quem possa ter dúvidas sobre fazer ou não, veja a seguir os 10 principais mitos e verdades sobre a técnica de preenchimento labial para desmistificar de vez com ele.

1- Todo preenchimento fica com aspecto artificial

Mito. Os produtos geralmente usados para preencher os lábios estão presentes naturalmente no corpo humano. Por isso, quando feito com o material adequado e por um profissional habilitado o resultado costuma ficar bem natural.

Até porque, os profissionais fazem cálculos e orientam quem deseja passar pelo processo para colocar apenas a quantidade certa. Isso faz com que os lábios fiquem naturais e harmonizem com o restante do rosto.

2- O preenchimento labial dura para sempre

Mito. As técnicas mais comuns de preenchimento labial são temporárias, graças ao uso de substâncias que são absorvidas pelo próprio organismo.

Por exemplo, a mais usada neste procedimento estético é o ácido hialurônico, que é uma substância produzida naturalmente pelo corpo, mas em pequenas quantidades.

Desse modo, com o tempo o organismo se encarrega de absorver o excesso de produto que foi aplicado sob a pele. Por isso, o efeito vai diminuindo com o tempo, tendo uma duração média de aproximadamente 6 a 12 meses.

Como cada corpo é diferente do outro, o tempo de duração também pode variar. Podendo ser maior ou menor, necessitando então de manutenções mais frequentes, mas em 24 meses ele terá sido completamente absorvido.

3- Os resultados são imediatos

Verdade. Os resultados já podem ser notados a partir do momento da primeira aplicação. No entanto, o efeito final só costuma aparecer após cerca de duas semanas após o procedimento em algumas pessoas.

Isso acontece porque a região onde o ácido foi aplicado pode ficar vermelha e inchada por um tempo, devido ao uso das agulhas. Após esse tempo o efeito fica mais natural.

4- Existem algumas contraindicações para o procedimento

Verdade. Como em qualquer procedimento estético, existem algumas contraindicações sobre quem pode realizar o preenchimento labial.

Desse modo, mulheres grávidas ou que estejam amamentando não podem fazer o procedimento. Isso é necessário para evitar que o excesso de substâncias no organismo sejam absorvidos pelo feto ou através do leite.

Pessoas que possuem alguma doença crônica ou infecção nos lábios devem avaliar com o profissional a viabilidade do procedimento. No entanto, fora esses casos, não é necessário ficar assustado. Pois os riscos de alergias são mínimas.

5- Não pode aplicar o preenchimento várias vezes

Mito. Uma ideia bastante difundida é que as substâncias usadas no preenchimento perdem o seu efeito com o tempo, fazendo com que o resultado não seja o mesmo que das primeiras vezes.

Isso, no entanto, não é verdade. É possível fazer várias aplicações, com os mesmos resultados, porque o produto é absorvido completamente pelo corpo entre elas.

6- Preenchimento e Botox é a mesma coisa

Mito. O preenchimento labial pode ser feito com ácido hialurônico ou colágeno para um resultado com menor duração. Já o Botox é uma sigla para toxina botulínica, que é uma neurotoxina produzida por uma bactéria.

Quando aplicada sob a pele ela age relaxando os músculos e preenchendo pequenas linhas. O preenchimento é a aplicação de uma substância que irá dar volume sob a pele, amenizando rugas e até aumentando algumas regiões.

7- O preenchimento é compatível com todos os tipos de pele

Verdade. Tanto o ácido hialurônico, que é mais comum, quanto o colágeno e a gordura do próprio paciente podem ser usados em todos os tipos de pele. Principalmente porque são compatíveis com o organismo, diminuindo os riscos de rejeição e alergias com o tempo.

8- O procedimento causa perda de sensibilidade

Mito. A substância geralmente é aplicada de maneira superficial. Logo, não há riscos de alterações da sensibilidade da região.

9- É possível reverter o preenchimento

Verdade. Caso você tenha feito o preenchimento labial e não gostou do efeito, é possível revertê-lo sem ter que esperar o corpo absorver a substância.

Nos casos dos preenchimentos feitos com ácido hialurônico, é aplicada uma enzima chamada de hialuronidase. Ela atua destruindo as moléculas de ácido que estão no organismo e revertendo o efeito do procedimento.

10- O procedimento só pode ser feito nos lábios

Mito. O preenchimento é um procedimento bem versátil e portanto pode ser usado em diversas áreas do corpo.

As mais comuns são no bigode de chinês, nas rugas que se formam ao redor dos lábios e nas maçãs do rosto. Essas áreas são as mais afetadas por pequenas rugas, que podem ser revertidas com a aplicação de ácido.

Além disso, ele também pode ajudar a amenizar linhas de expressão, melhorar a aparência de cicatrizes e até mesmo para corrigir olheiras.

Quem pode fazer o preenchimento?

Quase qualquer pessoa pode fazer o preenchimento labial. Afinal, como já foi dito, os riscos de alergia ou de rejeição são mínimos. Portanto, exceto nos casos já citados, o uso é livre.

Mesmo assim, existem algumas pessoas em que o uso da substância é mais indicado. Como por exemplo, indivíduos que possuem pouco volume nos lábios ou perderam com o avanço da idade e não se sentem satisfeitos com a aparência.

Quando começam a aparecer sinais de envelhecimento na região. O preenchimento pode ser usado para disfarçar sulcos e linhas de expressão mais finas e até em quem possui os lábios desproporcionais ou assimétricos.

Lábios finos e grossos

Imagem com o antes e o depois do preenchimento labial (Foto: depositphotos)

Quanto o procedimento custa?

É possível encontrar seções de preenchimento labial com os mais variados preços. Podendo custar entre R$600 e até R$4 mil. Os preços variam de acordo com o local, profissional, técnica e material utilizado e até mesmo de região do país.

No entanto, é preciso ficar bastante atento a escolha do profissional. Isso porque a experiência pode fazer uma grande diferença no resultado final e evitar inúmeras dores de cabeça. Além disso, é importante optar por um profissional habilitado e que possua boas avaliações.

Tipo de preenchimento

De maneira geral existem três tipos de preenchimento. O permanente, que usa um material derivado do petróleo e não é absorvido pelo corpo. O semi-permanente, que é feito com um composto semelhante a composição dos ossos e dos dentes e os temporários.

Esse último tipo é o mais indicado para uso nos lábios. O primeiro tipo pode provocar sérias reações e levar até a morte por infecção em alguns casos. Por isso é totalmente contraindicado para o uso na boca.

O semi-permanente é absorvido pelo corpo, mas pode causar pequenas formações de nódulos, também não podendo ser usado na região em nenhuma hipótese.

Desse modo, apenas os métodos que são temporários são apropriados para a região. O mais comum e seguro é o ácido hialurônico. O utilizado para o preenchimento é sintético, mas é idêntico ao natural.

Outra substância que não é muito usada é o colágeno de origem animal. Esse tipo de preenchimento dura menos tempo que o anterior, em média quatro meses, mas possui um risco de alergia ao material.

Por fim, um outro método seguro é o que utiliza a gordura autógena, retirada do próprio corpo. Esse preenchimento é feito com células vivas, logo pode aumentar de tamanho caso a pessoa que fez, engordar com o tempo.

Esse tipo só pode ser feito junto com outros procedimentos. Pois é preciso que o paciente esteja anestesiado para a retirada, que é feita do culote ou parte de trás do joelho.

Como é feito o preenchimento labial?

O procedimento é bastante simples. O profissional coloca a substância em uma agulha, nos casos de aplicação de ácido, ou em uma microcânula, nos casos de gordura corporal.

Feito isso, ele começa a aplicação modelando os locais onde a substância é mais necessária. O procedimento costuma durar poucos minutos e logo depois o profissional faz uma massagem para modelar e assentar o material injetado.

O ácido hialurônico já costuma vir nas seringas com a quantidade correta e por isso é mais rápido. Já a gordura precisa de um preparo, mas a aplicação é igualmente simples.

Dói?

Na maioria dos casos, os profissionais aplicam uma anestesia tópica em forma de pomada. Isso serve para amortecer a região e tirar a dor causada pela agulha e é geralmente o suficiente.

Para pessoas mais sensíveis os profissionais podem aplicar uma anestesia local, a mesma usada pelos dentistas, que costuma tirar toda a dor do procedimento.

Cuidados pós-procedimento

Por não ser um procedimento cirúrgico e portanto menos invasivo, o preenchimento labial tem uma recuperação bem rápida. É necessário, no entanto, ter alguns cuidados para evitar possíveis problemas. Especialmente em quem apresentou alguma sensibilidade durante o processo.

Desse modo, você deve evitar bater, massagear ou apertar a área que recebeu a substância. Mesmo nos casos em que o resultado parecer assimétrico, porque o inchaço é normal e passa em alguns dias. Então, você nunca deve tentar reproduzir a massagem feita pelo profissional em casa.

Outro cuidado é evitar usar maquiagem ou substâncias nos lábios nas 48 horas logo depois do procedimento. Bem como, evitar esforço físico, tomar muito sol e qualquer procedimento estético agressivo pelos próximos 30 dias.

Em alguns casos a região pode ficar roxa por alguns dias, por conta da lesão de algum vaso, o que é normal e melhora naturalmente. Por fim, sempre lembre de higienizar bem a região e tomar cuidado com garfos nos primeiros dias.

Outros métodos de aumentar os lábios

Você viu neste artigo todos os principais mitos e verdades sobre o preenchimento labial. Para quem sonha em ter os lábios mais volumosos, mas ainda tem medo de partir para a agulha saiba que existem soluções cosméticas que podem ajudar com isso e o melhor, sem dor.

Essa opção são os gloss labiais com substâncias que aumentam o tamanho dos lábios. O resultado não é tão aparente quanto o do preenchimento e dura apenas enquanto o produto está nos lábios. Contudo, é uma ótima opção para quem quer experimentar o efeito.

Diversas marcas investiram em produtos do tipo e os considerados melhores são o Lip Injection da Too Faced, que é vendido por R$60 e o Lip Maximizer da Dior, que custa R$122, que podem ser comprados do Brasil.

Veja mais!