Por Pollyana Batista em 14/07/2017

O que é um sonho para muita gente, pode se tornar um pesadelo para algumas. Você sabia que perder peso muito rapidamente sem motivo aparente pode significar um sério comprometimento da sua saúde?

Para ser considerada uma disfunção, os especialistas consideram a perda de até 5% do peso corporal em um período de seis meses a um ano sem que a pessoa tenha feito nada para conseguir isso.

Por trás do emagrecimento acentuado podem estar fatores psicológicos, disfunções que afetam o metabolismo e a absorção dos nutrientes por parte do organismo. Os idosos e portadores de doenças crônicas são os mais afetados.

Perda acelerada de peso pode ser doença. Entenda

Foto: depositphotos

Principais problemas da perda de peso repentina

Um dos principais problemas é a sarcopenia, que ocorre quando a pessoa perde muita massa magra. Em sua maioria, ela acomete pessoas maiores de 60 anos e pode, a longo prazo, trazer complicações de locomoção e, decorrente disso, de autonomia.

Outro distúrbio relacionado à perda repentina de peso é a caquexia. Ela é uma síndrome multifatorial causada por doenças crônicas e que deve ser tratada com acompanhamento médico e com o uso de suplementos.

Há ainda outro fator que causa a perda de peso acelerada: a má alimentação. Segundo a nutricionista Joanna Carollo, “a carência nutricional é, inclusive, uma das principais consequências da perda de peso não intencional. Em geral, os pacientes que apresentam este problema não conseguem atingir a quantidade de nutrientes necessária seja pela dieta inadequada ou pela dificuldade em absorver os nutrientes da alimentação”.

A especialista complementa: “em virtude do problema, [esses indivíduos] precisam de uma dieta reforçada para recuperar seu estado nutricional e combater a perda acentuada de massa corporal principalmente em pacientes que estão em terapia nutricional enteral, onde devemos ofertar uma concentração maior de caloria”.

Como evitar

Para evitar que isso aconteça, a nutricionista reforça:

-Coma a cada três horas: Isso evita a queda nos níveis de glicemia, que fornece energia para o organismo. Se você ficar muitas horas sem comer só vai aumentar a perda de massa magra e não de gordura.

-Coma mesmo sem fome: se você está sem apetite ou com problemas que te impedem de realizar a mastigação e ingestão de alimentos, o melhor a fazer é não desistir. Coma em pequenas porções ao longo do dia.

Ajuda médica

Apesar dessas observações, a especialista adverte que o mais importante é procurar ajuda médica antes de comprar qualquer medicamento ou investir em dietas específicas para o ganho de massa. Se bem orientado, você pode reverter o problema e voltar a ter saúde.

Veja mais!