Por Daiane Silva em 19/12/2011

A toxoplasmose sempre foi um dos muitos fantasmas que assombram as mulheres que esperam a chegada de um filho. Isto porque, a doença pode causar sérios danos à formação do bebê, inclusive sua morte!

Por isso, desde sempre as mulheres evitam o contato com os felinos para não correrem o risco de contrair a doença. Mas, afinal, como acontece o contágio da doença?

O QUE É TOXOPLASMOSE E COMO É TRANSMITIDA AOS HUMANOS?

Mulher grávida

A doença é provocada pelo parasita Toxoplasma gondii, que tem nos felinos seu principal hospedeiro, fixando-se nas paredes intestinais, liberando cistos, com inúmeros toxoplasmas que são liberados nas fezes dos animais. Estes cistos sobrevivem muito tempo na terra e podem vir a contaminar frutas e verduras e outros animais, além, é claro, do perigo de contaminação direta ao mexer na terra infectada. Contagiando outros animais, pode ser encontrado em ovos ou carnes mal cozidas.

Para qualquer pessoa em situação normal, não causa quase nenhuma reação em 90% dos casos, nos outros 10%, pode causar mal-estar como se fosse uma gripe, como febre, dores no corpo e coriza e também, sinais característicos, que são as ínguas atrás das orelhas, podendo durar por semanas ou meses.

POR QUE A TOXOPLASMOSE É TÃO TEMIDA NA GRAVIDEZ?

Gato, o principal hospedeiro do parasita Toxoplasma gondii

Gato, o principal hospedeiro do parasita Toxoplasma gondii

Porque os cistos podem penetrar a placenta e infectar o feto de maneira gravíssima, causando diversos danos à sua formação, como:

catarata congênita, hepatoesplenomegalia (aumento do tamanho do fígado e do baço pela atividade de defesa), edema generalizado, retardo no crescimento, hidrocefalia, que pode causar retardo mental grave ou até a morte do bebê.

DIAGNÓSTICO

Existe um exame de sangue específico que costuma ser feito no pré-natal. Além do mais, a gestante deve prestar atenção, se tiver sintomas de gripe que não passam ou ínguas atrás das orelhas, procure seu obstetra com urgência!

EM CASO DE A GESTANTE ESTAR CONTAMINADA, O QUE PODE SER FEITO PARA PROTEGER O FETO?

Se a contaminação for nos primeiros três meses de gravidez, as chances de contaminação do feto é de 0 a 15%; entre 3 e 6 meses, a possibilidade é de 15 a 60% e entre o sexto mês até o final da gravidez, as chances são de 90%. Quanto mais jovem for o feto quando contagiado, maiores as malformações, pois, os fetos contaminados até o sexto mês tem graves efeitos, já após o sexto mês até o fim da gravidez, podem não apresentar nada. Mas isso não quer dizer que não existam esperanças para a cura da doença e a proteção do feto! Se a grávida suspeitar ou descobrir o contágio, será tratada com uma substância chamada Espiramicina, até o nascimento, reduzindo em 60% a chance de transmissão ao feto.

Para saber se o feto já foi infectado, há um exame feito no líquido amniótico ou sangue fetal. Caso seja positivo o resultado, há um tratamento com outros medicamentos que podem garantir a melhora da doença ou sua completa cura, na fase inicial. Após o nascimento, mesmo os bebês que não tiveram a contaminação confirmada, devem ser tratados para que não apresentem sequelas na primeira infância ou na adolescência, como a coriorretinite, que causa problemas visuais graves.

As pessoas que já contraíram toxoplasmose ficam imunes à esta doença, por isso, é interessante que, logo que engravide ou planeje engravidar, a mulher faça um exame e confirme se já teve, se não, deve manter cuidados para evitar a contaminação.

PREVENÇÃO DA DOENÇA

  • procure usar luvas de borracha para mexer na terra, se não for possível, lave muito bem as mãos e unhas após isso;
  • lave sempre muito bem as frutas, verduras e legumes antes de comê-los;
  • se for comer fora de casa, evite alimentos mal-cozidos;
  • evite carnes mal-passadas;
  • nem coma ovos crus ou mal-passados;
  • após manusear carnes cruas, lave bem as mãos e os utensílios utilizados;
  • mantenha baratas e moscas bem longe de sua cozinha e despensa, elas podem carregar os cistos!
  • se tiver um gato, alimente-o apenas com ração ou alimentos cozidos e não permita que saia, além disso, evite limpar o local onde ele deposita as fezes, peça a outra pessoa que faça isso;
  • cuidado, pois os pelos dos gatos também podem conter os protozoários, se você não estiver acostumada com a convivência com esses animais, melhor evitá-los durante a gravidez.

Veja mais!