Por Débora Silva em 06/05/2016

Todas nós sabemos que a média de horas de sono recomendada é de 8 horas por noite, não é mesmo? Mas, e quando nós dormimos pouco? Dormir mal traz péssimos efeitos para a vida, que vão além do cansaço no dia seguinte.

Não é apenas a insônia frequente ou a apneia que causam problemas de saúde: uma semana com dificuldades para fechar os olhos podem comprometer a imunidade e o metabolismo, além de causar problemas como a falta de concentração e a dificuldade em memorizar coisas simples.

Prejuízos que a falta de sono traz para a saúde da mulher

O sono tem função restauradora, sendo essencial para que nós recuperemos as nossas energias e para que o organismo continue funcionando plenamente. A falta aguda de sono pode causar vários transtornos para o organismo da mulher, comprometendo as atividades complexas ou que necessitem de reflexos rápidos, trazendo prejuízos no trabalho e na vida pessoal.

Imagem de mulher deitada em cama com as mãos na cabeça

Foto: Depositphotos

Dormir bem proporciona equilíbrio emocional e mental, enquanto o contrário vai te deixar mal-humorada e incapaz de manter a atenção em coisas importantes. Confira a seguir quais são os efeitos que a falta de sono pode causar na vida da mulher:

Imunidade corporal baixa

De acordo com estudos, existe uma relação entre a falta de sono e a maior propensão para resfriados, pois o sistema imunológico precisa de descanso para responder as ameaças com eficiência.

Dormir mal também pode comprometer o efeito de vacinas, reduzindo os anticorpos contra determinada doença.

Perda de memória

Se forem constantes, as noites mal dormidas podem resultar em danos cognitivos permanentes e deteriorações cerebrais.

Risco de câncer

Um dos prejuízos bem sérios de se ter uma noite ruim de sono é o risco de desenvolver câncer, principalmente de mama.

Aumenta o risco de AVC

A falta de sono (dormir menos de seis horas por noite) também pode aumentar o risco de acidente vascular cerebral (AVC), mesmo sem a existência de histórico familiar ou excesso de peso.

Dificuldade para se manter no peso ideal

Ter noites mal dormidas estimula a necessidade de consumir alimentos gordurosos em grandes quantidades, devido às alterações na produção de hormônios responsáveis por equilibrar o apetite.

Envelhecimento precoce

As olheiras são apenas um dos indicativos visíveis da falta de sono. Além de comprometer os vasos sanguíneos que irrigam a pele, as noites mal dormidas também causam danos aos órgãos internos, que sofrem envelhecimento precoce do tecido. Isto ocorre devido à falta da melatonina no organismo, um poderoso antioxidante que é secretado durante o sono.

Desajuste do colesterol no organismo

De acordo com um experimento realizado por cientistas da Universidade de Helsinque, na Finlândia, a falta de sono causa uma menor circulação no sangue do colesterol “bom”, o HDL, substância que tem a função de tirar o excesso de gordura das artérias.

Veja mais!