Por Anna de Cássia em 01/11/2012

Temida por todas que fazem lipoaspiração ou outras cirurgias plásticas, a fibrose consiste em cicatrizes deixadas em locais indesejados e que não há esperanças de se regenerarem sozinhas. Quando se faz, por exemplo, uma lipoaspiração, gorduras que antes se localizavam entre o músculo e a pele são retiradas. Nos “buracos” deixados pela lipoaspiração entre a pele e o músculo é que surgem as cicatrizes denominadas fibroses.

Como funciona a cicatriz?

O que são fibroses?

Foto: Reprodução

O tecido epitelial do ser humano tinha uma capacidade alta de regeneração, fazendo crescer um tecido novo em locais lesionados da pele para que não ficasse cicatriz. Mas com a cadeia evolutiva esta característica foi se perdendo e as cicatrizes foram surgindo. Quando uma cicatriz aparece, quer dizer que nasceu um tecido diferente na área lesionada. Um tecido diferente e que não tem a mesma maciez, textura nem elasticidade do outro.

Por possuir uma elasticidade diferente, quando o clima esfria a pele da cicatriz não consegue dilatar tanto quanto o resto da pele, e por isto é que é comum sentir leves dores e incômodos em cicatrizes de cortes ou cirurgias em dias frios ou chuvosos.

Efeitos da fibrose

Quando aparecem em pequena quantidade, sente-se apenas um pequeno incômodo na região por alguns meses e logo os incômodos param, pois a cicatriz vai aos poucos ficando mais maleável. Entretanto, se surgem em grande quantidade, ou se forem muito grandes, elas podem causar uma boa quantidade de irregularidades:

  • Nodulações;
  • Endurecimento da região;
  • Retrações na pele;
  • Dor;
  • É visível e pode atrapalhar a estética;
  • Em seis meses as irregularidades diminuem, mas deixam sequelas.

Minimizando a fibrose

Não existe exatamente uma “cura” para a fibrose. Não se pode tomar um remédio e vê-la desaparecer, nem muito menos tentar retirá-la por meio cirúrgico. Por isso, a única coisa que se pode fazer é tentar minimizá-las. Por ser inevitável, a única maneira de prevenir seria não fazendo cirurgias.

Mas, caso for fazer uma cirurgia, dê preferência àquelas menos evasivas e pouco traumáticas, pois assim as cicatrizes serão bem menores. Existem também alguns tratamentos pós cirúrgicos que podem ajudar a minimizar as fibroses, como é o caso da drenagem linfática. Outro tratamento que pode ser utilizado é a carboxiterapia, onde há uma infusão de gás carbônico no local afetado, que colabora para a recuperação do tecido e diminuição da fibrose.

Quando se inicia o tratamento logo depois do surgimento da fibrose – entre 14 e 21 dias depois da cirurgia – as chances de diminuir as cicatrizes são bem maiores, além de que o tratamento pode ser feito com maior facilidade.

Veja mais!