Por Lilian Druzian em 21/11/2011

Se batemos, acidentalmente uma parte do corpo, provavelmente, em alguns instantes aparecerá no local da batida, uma mancha roxa, cujo tamanho dependerá da intensidade do trauma. Elas são chamadas de hematomas e fazem parte de um grupo de sinais de uma situação chamada de púrpura, que pode também causar manchas menores, chamadas de petéquias se tiverem até 1cm e de equimoses se medirem até 4cm. A púrpura  resulta do vazamento de sangue dos vasos capilares, chamados assim pela semelhança aos fios de  cabelo, pela sua espessura muito fina. Como esses vasos  estão situados nas camadas externas da pele, que é levemente transparente, a mancha se forma.

Existem pessoas, principalmente idosos, que apresentam manchas roxas e não tomam conhecimento, imaginando tratar-se de coisa normal, manchas senis talvez. Mas esses sintomas, apesar de não serem dolorosos, a não ser em caso de hematomas maiores, podem ser sinais de outras coisas que  não estejam funcionando bem em seu organismo.

A púrpura também pode ser causada por:

  • alteração das palquetas, que são as responsáveis pelo estancamento do sangramento dos vasos, pela coagulação;
  • outras doenças que interfiram na coagulação do sangue;
  • pelo enfraquecimento dos tecidos que rodeiam e sustentam os vasos;
  • lesões nos vasos sanguíneos, permitindo o vazamento de fluidos.
  • Alterações nas proteínas do sangue ou problemas emocionais como o estresse e a ansiedade.

Como é feita a investigação das causas da púrpura?

O médico investiga a razão das manchas roxas através de histórico médico, podendo requisitar exames de sangue para a contagem das plaquetas, já que estas se unem e fecham qualquer vazamento dos vasos rapidamente, então , quando há algum hematoma, pode ser esta a razão e, assim, significar que há alguma alteração das plaquetas. As plaquetas podem estar reduzidas devido a problemas no tecido de formação das mesmas na medula, ou porque este foi destruído por  processos como a quimioterapia ou radioterapia. A função das plaquetas pode ser prejudicada também por efeitos de medicamentos, como a aspirina, por exemplo, ou doenças, como a insuficiência renal crônica.

Se o problema não for nas plaquetas, pode ser nos próprios vasos, na fragilidade capilar e, esta, pode ser causada por doenças genéticas, por deficiência de vitamina C, também alergias, causas hormonais até causas de senilidade ou causas indetermináveis.

Assim, o médico deverá fazer uma investigação minuciosa, baseando-se em dados do paciente para descobrir o motivo da púrpura.

Como se pode tratar e prevenir a púrpura?

Se a causa for detectada, trata-se de acordo com o fator causador da  púrpura, se a razão for fragilidade dos vasos, a ingestão diária de suco de laranja pode ajudar, se for por causa de medicamentos, suspendendo-se o uso, a situação estará resolvida. Algumas pomadas e cremes podem ser aplicados sobre estas manchas e friccionados para facilitar a reabsorção do sangue e reduzir o tempo de hematoma, que passará por estágios de mudanças de  cores, passando pelo marrom e amarelado até desaparecerem totalmente.

A prevenção pode ser feita de acordo com a causa do surgimento, por exemplo, com alguns cuidados para evitar traumas no dia a dia. Mesmo que não exista uma causa específica, o importante é que o paciente saiba que, apesar da estética, essa não costuma ser uma manifestação de doença grave.

Veja mais!