Por Daiane Silva em 18/01/2012

A preocupação com o peso e com a forma física é uma das que mais ocupam os pensamentos da maioria das pessoas atualmente, especialmente das mulheres, entre as adolescentes e mulheres mais jovens. O padrão de beleza estipulado pelas mídias, onde o que é sinônimo de beleza é ter um corpo quase sem curvas e sem um grama de gordura a mais, faz com que a frustração mova estas pessoas em busca desse corpo magro, mesmo que, muitas vezes, isso signifique se privar de alimentação adequada!

O efeito sanfona é uma consequência do emagrecimento rápido, ocasionado por dietas, ou por programas de emagrecimento que incluem dieta e exercícios, mas que, após algum tempo, o peso anterior volta a ser recuperado e, em certos casos a pessoa ainda ganha mais peso.

Entenda o efeito sanfona e o que o causa

Efeito sanfona

Nosso organismo é uma complexa engrenagem, cujas ações sobre certas substâncias ou órgãos, causam as reações de acordo, por isso, as dietas restritivas nunca são boa opção. Veja por quê:

Quando passamos muito tempo sem nos alimentarmos, ou reduzimos drasticamente a quantidade de alimentos ingeridos, reduzindo assim as calorias, há uma redução do nível de leptina no sangue e aumento de grelina. A leptina é um hormônio produzido no tecido adiposo (da gordura) e leva o alerta de saciedade ao cérebro. Seu nome deriva do grego, leptos, que significa magro. A grelina é produzida no estômago, e o sinal que envia ao cérebro é de fome! Este é o hormônio da fome.

Com esta alteração desses hormônios durante as dietas restritivas demais, o metabolismo, que é regulado por elas, torna-se instável e, além de o sujeito ficar mais propenso a atacar a comida quando ela aparecer, qualquer alimento que for ingerido será metabolizado de forma diferente, sendo armazenado pelo organismo, já que ele, o nosso organismo, está programado para nos defender de falta de alimento, por isso, se perdemos peso muito rapidamente, ou ficamos muito tempo sem alimentação consistente, o organismo pensa que estamos morrendo de inanição! Assim, ele tenta nos “proteger”, facilitando o ganho de peso e armazenando as calorias ingeridas com maior facilidade.

Este é o grande segredo da dificuldade em perder peso que algumas pessoas apresentam e é também, uma das maiores causas do efeito sanfona!

Como evitar este problema?

Alimentação balanceada

Agora que explicamos como e por que ocorre o efeito do emagrece-engorda, vamos ver o que se pode fazer para que ele não ocorra:

Além desse erro comum na busca desesperada pela perda de peso, algumas pessoas tem maior predisposição para as oscilações de peso e não há estudos genéticos específicos a respeito desse assunto, ainda mais porque os genes que controlam a obesidade são muitos! Mas, o que se sabe é que sexo e idade aumentam a propensão a esse efeito sanfona.

Algumas atitudes quanto aos métodos de emagrecimento podem ser decisivas para que não ocorram oscilações de peso:

  • Quando decidir emagrecer, planeje um programa, estipule regras a si mesmo e procure cumpri-las;
  • faça todas as refeições do dia, não pule nenhuma, de preferência, coma mais vezes e em porções menores;
  • mude seu cardápio habitual, corte as frituras, embutidos e tudo o que contenha muito sal ou sódio, como os produtos industrializados;
  • coma frutas e verduras e carnes magras;
  • beba muita água;
  • exercite-se, ao menos meia hora, três vezes por semana;
  • reserve o final de semana para uma pequena extravagância alimentar, como um pedaço de pizza ou um doce, assim, a dieta não será uma tortura!
  • E, principalmente, comprometa-se a perder peso aos poucos, mas de forma efetiva e mantenha os bons hábitos após perder peso!

Veja mais!