Por Nayla Georgia em 27/04/2012

Pular corda não é só brincadeira de criança, o exercício trabalha toda a musculatura dos membros superiores e inferiores, sem mencionar a grande quantidade de calorias que são queimadas e ainda a diminuição dos efeitos da indesejada celulite. A atividade é dinâmica, divertida e indicada para todas as idades. Pode fazer em casa ou na academia, basta ter um tênis com amortecedor, corda e roupa de malhar.

O exercício pode chegar a queimar 350 calorias em 20 minutos de pulos. O movimento de sobe e desce melhora o fluxo linfático, diminuindo os indícios de celulite. Existem inúmeros benefícios com a prática do pulo com cordas, entre eles estão: a melhora no condicionamento físico, na coordenação motora, aumenta a musculatura (principalmente na região do bumbum) e tonifica as pernas e as panturrilhas.

Pular corda emagrece?

Perca até 350 calorias em 20 minutos pulando corda | Imagem: Reprodução/internet

Atenção: As pessoas que têm problemas nas articulações dos joelhos e braços, e até as pessoas muito a cima do peso, devem consultar um médico sobre a possibilidade de fazer o exercício, pois é uma atividade de muito impacto.

Como saber se o tamanho da corda está correto?

Se a corda for muito longa, terá mais trabalho para executar os movimentos e se for muito curta, poderá ser a causa de tropeços frequentes. Para descobrir o tamanho ideal da corda, basta fazer um simples e rápido teste:
– Com os pés unidos, pise no centro da corda. Os cabos devem ficar na altura dos seios.

Dicas importantes na hora de pular corda

  • Alongue o corpo todo antes e depois de treinar.
  • Use um tênis que tenha bastante estabilidade e amortecedor de impacto.
  • Vá com calma! Não adianta querer pular rápido demais, ou poderá acabar tropeçando e causando um acidente.
  • Para diminuir o impacto com o chão e evitar lesões, saia do chão o suficiente para que a corda passe debaixo dos pés apenas.
  • Olhe para frente e não para o chão. Sinta o ritmo da corda, assim evita a possibilidade de cair.
  • Pule em pisos planos e, preferencialmente, em superfícies lisas. Com cuidado para que a superfície tenha o atrito suficiente para o tênis manter-se no lugar e não escorregar.

Veja mais!