Por Natália Petrin em 09/05/2016

Noticiado comumente na mídia, as mulheres indianas são vítimas frequentes de abuso e violência. A Agência Nacional de Registro de Crimes da Índia (NCRB) registrou um crescimento de 18% nas denúncias de agressões contra as mulheres no ano de 2014, além de 31% em casos de estupros.

O governo do País, para buscar uma forma de assistir essas mulheres a todo momento e em qualquer lugar, os celulares passarão a contar com uma nova tecnologia: um botão de pânico para fazer ligações de emergência.

Maneka Gandhi, ministra da Mulher da Índia, qualificou essa medida como um “passo histórico para a segurança”, e segundo ela “O objetivo é fornecer uma rede de segurança a milhões de mulheres que encaram situações de perigo em sua vida diária”.

Imagem de mulher segurando aparelho celular

Foto: Depositphotos

Como funciona?

O mecanismo deve funcionar da seguinte forma: além do habitual aparelho de celular smartphone, agora as mulheres contariam com o botão de pânico que, ao ser pressionado por um determinado tempo, faria uma ligação de emergência. Além disso, outra forma de acionar o sistema seria por meio de apertar o botão de ligar/desligar três vezes seguidas. Para quem não tem o smartphone, a tecnologia seria ao apertar os números 5 e 9. Ainda não se sabe, entretanto, qual será o órgão que receberá as chamadas originadas do botão do pânico.

Adaptação das tecnologias

A tecnologia deverá ser inserida nos aparelhos vendidos no país até 1º de Janeiro de 2017, prazo final para que os fabricantes façam as adaptações e data em que a lei entra em vigor. A partir de 2018, também deverá ser feita ainda outra adaptação: os aparelhos deverão ter GPS embutido para que a polícia possa encontrar a vítima por meio dessa chamada do botão de pânico.

Veja mais!