Por Natália Petrin em 04/08/2015

Muita gente se queixa de metabolismo lento e fala que por isso não consegue emagrecer. Apesar dessa desculpa – comumente usada – não ter nenhum cunho científico, o metabolismo tem apenas uma parcela de culpa nesse sentido. Não é um carimbo: se você tem geneticamente um metabolismo lento, assim será para sempre.

Existem formas de acelerar o metabolismo, segundo a endocrinologista Tarissa Petry, do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. “Se uma pessoa tem um metabolismo lento por natureza, precisará fazer mais alterações no seu estilo de vida para poder sentir os resultados”, afirmou.

O que o metabolismo tem a ver com a perda de peso?

Quando falamos em metabolismo, estamos nos referindo à quantidade de calorias que o organismo precisa usar para desempenhar as funções habituais: respirar, bombear o sangue, praticar exercícios, entre outras. O metabolismo lento necessita de pouca energia e, somente ao ser acelerado, é que usará mais energia.

Mudanças para ajudar a acelerar o metabolismo

Imagem: Reprodução/ internet

Tipos de metabolismo

Existem, basicamente, três tipos de metabolismo: o de repouso, de atividade física e termogênese alimentar.

Metabolismo de repouso

Também conhecido como basal, o metabolismo de repouso é referente ao gasto energético para funções básicas, como o batimento cardíaco (entre 60% e 70% do gasto do dia).

Termogênese alimentar

Corresponde a 10% da energia gasta durante o dia, e é referente a usada para efetuar a digestão – desde a mastigação até a secreção de enzimas digestivas. Comer de três em três horas é importante, por isso, a digestão, a adsorção e o metabolização dos alimentos fazem o corpo consumir energia.

Metabolismo de atividade física

Esse, por fim, consome entre 20% e 30% do gasto calórico diário.

Como acelerar o metabolismo?

Algumas medidas podem ajudar a aumentar o gasto energético diário e, consequentemente, acelerar o metabolismo. São pequenas mudanças que fazem toda a diferença na rotina. Confira:

Tomar bastante água

O corpo, quando recebe a água, gasta energia para realizar o equilíbrio térmico, ou seja, para ajustar a temperatura da água à temperatura do corpo. Segundo Marcio Mancini, integrante do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, tomar água cerca de uma hora antes das refeições, faz com que a pessoa consuma menos alimentos.

Pimenta nos alimentos

Usar a pimenta nos alimentos, devido à capsaicina, ajuda a acelerar o metabolismo em até 20% em decorrência ao estímulo da liberação da adrenalina, o que aumenta os batimentos cardíacos – que demanda consumo de energia pelo corpo.

Aumentar o consumo de proteína

A proteína, como carnes, leite e ovos, são alimentos mais difíceis de serem digeridos do que as gorduras e os carboidratos, por exemplo. Por isso, consomem mais energia e aumentam o metabolismo. Consuma de 1 a 1,4 gramas por cada quilo de peso.

Reduzir o estresse

O cortisol, hormônio que favorece o acúmulo de gordura abdominal e que aumenta a forme, é liberado quando estamos estressados.  Segundo pesquisas recentes, dias estressantes desaceleram o metabolismo, portanto, controle os nervos com meditação e até mesmo com a prática de exercícios.

Treinos intervalados

O método de treinamento que consiste em treinos com intensidade muito altas – de até 90% da frequência cardíaca máxima – intercalados com treinos de intensidade baixa e média – sem ultrapassar os 70% da frequência cardíaca máxima – por até 30 minutos, ajuda a continuar queimando calorias por um período de até uma hora depois da atividade.

Boas noites de sono

É preciso dormir bem para emagrecer. Isso porque quando dormimos irregularmente, estamos atrapalhando a produção de hormônios, e um desses que é afetado é o cortisol, que acaba favorecendo o acúmulo da gordura abdominal.

Café da manhã

Muitas pessoas não gostam de tomar café da manhã, e aí está um grande erro. Depois do jejum noturno, que varia entre 8 e 12 horas, segundo o endocrinologista da Clínica Helena Costa, Francisco Tostes, “se não nos alimentamos, pode ocorrer o catabolismo muscular, que é quando o organismo queima músculo para obter energia. A consequência é um metabolismo desacelerado”.

Alimentação regrada a cada três horas

Você já deve ter ouvido falar que é importante comer de três em três horas, certo? Isso porque é dessa forma que estimulamos a termogênese alimentar, além de evitar que a fome na próxima refeição seja muito intensa e faça com que você se alimente em excesso.

Veja mais!