Publicado por Débora Silva

O terçol é uma condição comum que tem início com uma inflamação, podendo evoluir para um processo infeccioso das glândulas presentes na área dos cílios.

De acordo com a dermatologista Claudia Marçal, da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, o lápis de olho de má qualidade pode influenciar na formação do terçol.

Lápis de olho e o aparecimento do terçol

A médica Claudia Marçal explica que, muitas vezes, o terçol surge por excesso de gordura e oleosidade local, o que é muito comum nas pessoas que têm blefarite, caracterizada pela descamação na região da linha dos cílios, mas também por sujidades.

Lápis de olho de má qualidade pode causar terçol

Foto: depositphotos

Ela explica que a influência do lápis de olho na inflamação pode acontecer por dois motivos: “Primeiro, se ele não for de qualidade, pode causar uma hipersensibilidade local que pode irritar a região e fazer com que a glândula tente se livrar daquele depósito de pigmento; e, além disso, o lápis pode provocar (se não bem retirado com demaquilante após uso da maquiagem) um processo inflamatório pela presença da sujidade que obstrui o ducto de saída da glândula, criando uma inflamação”, explica Marçal.

“Posteriormente, as bactérias da nossa própria pele podem contaminar a área e fazer o terçol propriamente dito, com um nódulo que inicialmente é inflamatório, mas pode ser infeccioso”, completa a dermatologista.

As causas da inflamação

“A maquiagem é um dos fatores que propiciam esse processo inflamatório, a oleosidade da própria região quando o paciente tem tendência à blefarite, o estresse e a carência nutricional também estão relacionados com o problema. O terçol pode acometer homens ou mulheres, mas as mulheres acabam sendo mais propensas justamente pelo uso de maquiagens, de cílios postiços, de lápis, enfim, e a inadequada retirada de tudo aquilo que é depositado diariamente naquela região”, comenta a especialista.

De acordo com a dermatologista, quando o terçol é apenas inflamatório, ele se resolve espontaneamente de cinco a sete dias. Contudo, quando ele é infeccioso, é necessário que o paciente busque ajuda junto ao oftalmologista.

Veja mais!