Por Jéssica Vanessa em 18/07/2012

A intoxicação alimentar é um problema gastrintestinal caracterizado pela ingestão de água ou alimentos contaminados por vírus, bactérias, produtos químicos, parasitas e/ou toxinas em geral, que entram no organismo e provocam má reação. Normalmente, isso ocorre pela higienização, preparo, produção e armazenamento errado dos alimentos (o que facilita demais a aparição destes microorganismos na nossa comida).

Os sintomas mais comuns são a dor de cabeça, náuseas (seguidas ou não por vômitos), febre, calafrios e fortes dores abdominais. Por serem sintomas de várias outras doenças, algumas vezes eles podem confundir ou serem deixados de lado, fazendo com que a doença comprometa cada vez mais o sistema digestório, principalmente o das crianças, onde a intoxicação alimentar pode se tornar um problema gravíssimo.

Como identificar uma intoxicação alimentar?

Intoxicação alimentar

Foto: Reprodução

Depois de um período de dois a quatro dias com cólicas abdominais, enjoo constante, falta de apetite e possível desidratação, é provável que exista uma intoxicação alimentar. É importante que o paciente nunca se diagnostique sozinho, pois a ingestão de medicamentos errados pode tornar a situação do organismo ainda mais complicada, piorando, e muito, a situação. É necessário fazer o exame médico e distinguir qual o parasita que causou a infecção, para só depois fazer o tratamento mais adequado.

Como prevenir?

As intoxicações estão diretamente ligadas ao meio em que se vive. Para prevenir a doença é preciso ter cuidado no preparo de alimentos, ter um saneamento básico adequado e prestar atenção diariamente à higiene básica, como sempre estar lavando as mãos. Além disso, outras medidas podem ser tomadas, como:

  • Antes de colocar os alimentos na geladeira, os embale de maneira correta.
  • Após lidar com alimentos crus, lave sempre os utensílios que foram utilizados
  • Evite comer carnes mal passadas.
  • Prefira tomar leites que estejam fervidos ou pasteurizados.
  • Lave sempre com água sanitária as verduras e hortaliças que for usar na alimentação.
  • Tenha cuidado na hora de adquirir alimentos enlatados: Embalagens estufadas ou amassadas podem conter toxinas que geram o botulismo.

Qual o tratamento para a intoxicação alimentar?

Como quase todo tratamento, é exigido o repouso e o consumo de muito líquido, principalmente água. Quando houver risco de desidratação, os medicamentos adequados devem ser indicados apenas pelo médico, pois controlam as náuseas e os vômitos de maneira correta, garantindo a retenção e a reposição dos líquidos e sais necessários. Alguns tratamentos podem conter o uso de antibióticos.

Aprenda um tratamento caseiro

É um tratamento muito simples. Para ele necessário o uso de dentes de alho. Primeiro, pegue uma cabeça e a coloque em um litro de água. Deixe fervendo por, no máximo, cinco minutos e espere esfriar um pouco antes de beber. Armazene-o em uma garrafinha na geladeira e consuma duas ou três vezes ao dia. Lembrando que este, como qualquer outro tratamento caseiro para esta doença servirá apenas para aliviar os sintomas. O verdadeiro tratamento deverá ser indicado por um médico.

Veja mais!