Por Ana Ligia em 05/07/2017

Você já deve ter se deparado com algumas manchas roxas, marrons ou amarelas nas unhas e pele. Esses hematomas surgem quando o sangue deixa o interior dos vasos para se acumular em outras partes do corpo.

O problema do hematoma é que o sangue extravasado em locais como a pele, olhos e dentro de órgãos como o cérebro, deixa de exercer sua função e pode causar problemas nos órgãos adjacentes.

“A gravidade do hematoma varia conforme o local onde ele se forma, perto ou não de órgãos, e seu tamanho, que pode ou não comprometer o bom funcionamento de outros órgãos. Os hematomas que observamos na pele após pancadas, ou após coletas de sangue, por exemplo, são formados pelo sangue que extravasa de pequenos vasos sanguíneos que se rompem em decorrência do trauma local, a pancada ou a picada da agulha. Este sangue extravasado não volta a circular normalmente, e só desaparecerá quando for completamente absorvido pelas células de defesa de nosso corpo, o que leva dias”, explica o médico hematologista e membro do Comitê de Trombose da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), Erich de Paula.

Hematomas sem pancada? Entenda a razão delas aparecem na sua pele

Foto: depositphotos

A maioria dos hematomas que surge na pele decorrente de pancadas não representa riscos para à saúde. Mas para isso é necessário que seja pequeno, restrito ao local do trauma e que não cresça.

Hematoma sem pancada

A preocupação deve existir quando o hematoma aparece de forma espontânea, sem que tenha acontecido nenhum tipo de trauma. Isso pode significar uma alteração na capacidade de coagulação do sangue.

“Um outro sinal de alarme é quando os hematomas surgem juntamente com outros tipos de sangramento (gengiva, nariz, etc), em intensidade diferente do normal para aquele paciente. É importante reconhecer que há pessoas que apresentam uma tendência a formarem mais hematomas, às vezes mediante traumas mínimos ou simples aumentos da pressão sobre os vasos (por exemplo, um cinto muito apertado, ou o apoio prolongado da coxa contra uma mesa), sem que isso represente uma doença”, relata o especialista.

É importante também ter bastante cuidado com a automedicação. Alguns remédios, como aspirinas, aumentam as chances de formação de hematomas.

Visita ao médico

“A avaliação de uma pessoa que acredite apresentar uma maior tendência à formação de hematomas deve ser feita pelo médico, através de uma entrevista cuidadosa sobre como estes hematomas se formam, sobre como a coagulação deste paciente se comporta em situações desafiadoras, como cirurgias ou extrações dentárias, e sobre a presença de casos de doenças da coagulação na família”, sugere o médico.

Veja mais!