Por Pollyana Batista em 30/11/2016

Você tem vergonha de falar sobre a vagina? Esse constrangimento é bem natural, pelo menos é o que mostra uma pesquisa realizada por uma marca especializada em produtos femininos.

O estudo revelou que 25% das mulheres entre 18 e 39 anos ficam constrangidas diante da palavra. Entretanto, após as primeiras quatro décadas de vida, esse embaraço prevalece em apenas 11% das brasileiras entrevistadas.

Para acabar com essa postura, a ginecologista Cristina Carneiro esclarece algumas dúvidas a respeito da região íntima feminina.

Ginecologista tira dúvidas sobre a vagina

Foto: depositphotos

1. A vagina perde a elasticidade com o passar dos anos?

Essa parte do corpo da mulher é extremamente elástica. Isso garante maior conforto durante as relações sexuais e, principalmente, durante o parto normal. De acordo com Cristina Carneiro, o comprimento médio da vagina é de oito a dez centímetros, mas pode atingir entre 12 e 13 centímetros durante as relações sexuais.

Esse tamanho pode dobrar durante a dilatação para o parto normal. “O diâmetro aumenta até cerca de 10 centímetros para dar passagem à cabeça do bebê, por isso que dizemos que se a cabeça passou, o resto passa”, lembra a ginecologista.

2. A vagina emite gases durante a relação sexual?

Segundo a especialista, não. O que acontece é que durante os movimentos do sexo, entra ar na região da vagina. Portanto, os barulhos emitidos durante o ato sexual não têm nada a ver com gases, mas é simplesmente o fluxo de ar.

3. Quais são os tipos de cirurgias plásticas para a região íntima feminina?

Existem quatro tipos de plásticas íntimas mais comuns. São elas: himenoplastia que é a reconstrução do hímen, a clitoriplastia que é a reconstrução do clitóris, a ninfoplastia que é a redução ou redefinição dos lábios vaginais, a perineoplastia que é reconstrução da musculatura do períneo, o clareamento vaginal e a lipoaspiração.

4. É verdade que posso exercitar os músculos da vagina?

Sim. Por se tratar de um músculo, alguns exercícios podem ser feitos para evitar a flacidez. A atividade se resume a contrair e relaxar a musculatura da região que podem evitar cólicas, prevenir a incontinência urinária e aumentar o prazer durante o sexo.

5. Como limpar a região íntima?

A região da vagina possui inúmeras glândulas sudoríparas, por isso é importante abrir mão de vez em quando das calças apertadas e usar saias e vestidos. Além disso, o uso de um desodorante íntimo pode ser uma boa aposta.

6. É verdade que existe a ejaculação feminina?

Sim. A ginecologista afirma que uma glândula chamada Skene pode expelir um líquido durante a relação sexual, que é popularmente conhecido como ejaculação feminina.

Veja mais!