Por Nayla Georgia em 13/09/2012

Nos dias de juventude, as mulheres podem encarar o fibroadenoma, um tumor benigno comum nas mamas que tem origem no epitélio e estroma do sistema ductal terminal. Mesmo sendo raro, o aparecimento dessa neoplasia pode ocorrer em pacientes com mais de 40 anos, já que a tendência vai da adolescência até esta faixa de idade. É um tumor complicado de ser encontrado, mas é possível identificar a existência dele através de apalpação e exames de imagem, por exemplo, em alguns casos. Ainda que benigno, o tumor acaba sendo um aviso para dar mais atenção à saúde, portanto, exames devem estar em dia.

Fibroadenoma – Do que se trata?

Foto: Reprodução

Fatos sobre o tumor benigno

  • Pode ocorrer na região da axila, quando existe tecido mamário ectópico nessa região;
  • O tamanho pode variar de milímetros a centímetros, porém o crescimento costuma cessar ao atingir dois ou três centímetros.
  • Em 15 ou 20% dos casos os tumores são múltiplos;
  • Na gravidez o fibroadenoma pode aumentar, assim como também no final do ciclo menstrual;
  • Depois do parto e na menopausa é comum que o tumor chegue a involuir;
  • O câncer pode acabar se desenvolvendo no fibroadenoma, mas as chances são raríssimas;
  • É mais comum aparecer em mulheres negras;
  • A maioria das pacientes com o tumor não necessitam de tratamentos;
  • Cerca de 10 a 20% dos fibroadenomas têm a possibilidade de desaparecer e o mesmo número também equivale às chances do tumor aumentar de tamanho, precisando, assim, de tratamento cirúrgico.

Qual a origem do fibroadenoma?

Não é do conhecimento dos médicos o motivo concreto que induz o surgimento desse tumor, no entanto há suspeitas de que ele tenha influencias dos hormônios femininos, já que tendem a aumentar de tamanho durante a gravidez e diminuir após a menopausa.

Tratamentos para o tumor benigno

Não é em todos os casos que as moças que descobrem ter um nódulo em seus seios ou axilas decidem aceitar o tumor e conviver com ele, mesmo existindo essa possibilidade quando ele for menor que 2 centímetros. Para tratar do fibroadenoma existem algumas opções que deverão ser escolhidas de acordo com a necessidade por um profissional. O tratamento pode ser conservador caso alguns critérios sejam preenchidos, eles são: idade inferior a 30 anos; diagnóstico que não inclua nódulos complexos e lesões intraductais de risco; configuração cisto ou histopatológica de benignidade.

O fibroadenoma na mamografia

Não é comum aparecerem tumores desse tipo nos exames de mamografia, mas quando sim, costumam ser vistos como um nódulo radiopaco, redondo, oval ou lobulado. Até mesmo quando são palpáveis ainda é difícil de encontrá-los nesse exame. Isso ocorre porque o fibroadenoma apresenta radiodensidade semelhante à do tecido fibroglandular que circunda ele. Portanto a melhor forma de identificar o tumor é com o ultra-som, a biópsia do nódulo ou pelo exame anatomopatológico.

Veja mais!