Por Débora Silva em 21/09/2015

Nós sempre lemos e ouvimos a respeito da importância de mantermos uma alimentação saudável e balanceada durante toda a vida, mas esses cuidados precisam ser redobrados durante a fase da gravidez.

Um estudo liderado por cientistas da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, apontou que o consumo de determinados alimentos também pode proteger o coração dos bebês que ainda estão dentro da barriga da mãe.

Dieta saudável na gravidez e saúde do coração do bebê

Os benefícios de uma dieta rica em alimentos saudáveis como frutas, verduras, castanhas e peixes são bastante conhecidos e, de acordo com pesquisadores norte-americanos, também pode influenciar diretamente na saúde do coração do bebê.

Estudo relaciona dieta saudável na gravidez à prevenção de doenças cardíacas no bebê

Foto: Pixabay

De acordo com o estudo, as mulheres que se alimentam de maneira saudável antes e durante a gravidez podem reduzir o risco de o bebê desenvolver doenças cardíacas.

O objetivo dos pesquisadores era descobrir o papel da dieta da gestante na prevenção de problemas de coração congênitos no bebê. Alguns dados afirmam que tais complicações atingem cerca de 130 milhões de crianças no mundo inteiro, a cada ano.

A pesquisa foi realizada por meio da aplicação de questionários a 19 mil mulheres sobre os seus cardápios no ano anterior à gravidez. Metade das participantes teve filhos saudáveis e a outra metade tinha tido filhos com problemas cardíacos. Comparando-se a dieta dos dois grupos, os estudiosos chegaram à conclusão de que as adeptas de uma dieta saudável eram menos propensas a ter filhos com problemas de coração congênitos.

O hábito de uma alimentação saudável foi associado a um risco 37% menor de tetralogia de Fallot e a uma probabilidade 23% de defeito de septo atrial.

Cardápio saudável

Um cardápio saudável inclui alimentos como peixes, frutas, legumes, verduras e nozes. Além disso, os especialistas também recomendam o consumo de determinados suplementos, tais como ácido fólico (reduz o risco de outros problemas de parto, como uma má formação congênita) e vitamina D (para ossos e dentes saudáveis).

Adotar uma dieta saudável antes, durante e depois da gravidez pode beneficiar tanto a mãe quanto o bebê, no entanto, o estudo ainda não conseguiu estabelecer uma relação de causa e efeito entre a dieta da mãe e a presença de doenças cardíacas congênitas.

As pesquisas realizadas até agora focaram nos cuidados pré-natais, porém, outros estudos devem ser realizados para saber mais acerca das medidas preventivas dos problemas cardíacos e outras más-formações. Comer de maneira saudável não garante a prevenção definitiva de efeitos congênitos no coração, mas é um dos fatores que podem auxiliar nos cuidados gerais.

Veja mais!