Por Daiane Silva em 15/12/2011

A cesariana é uma cirurgia que se tornou comum atualmente, mesmo que se saiba que o parto normal é o melhor método. Acontece que muitas mulheres necessitam de um parto cesáreo, ou apenas optam por uma pela praticidade de saber o dia e a hora certos em que seu filho chegará. Apesar de muitas fazerem essa escolha para evitarem a dor, a cesariana é uma cirurgia e, como tal, oferece muitos riscos e também a recuperação exige cuidados para evitar agravamentos.

Mulher grávida

Uma das preocupações dos médicos atualmente, em se tratando da cesariana, é quanto à cicatriz deixada na barriga. Ela tende a se tornar uma discreta linha que, com o passar do tempo, desce em direção à zona coberta  pelo biquini, é feita com muito cuidado e capricho normalmente. Os pontos usados para fechar a incisão são feitos com um fio bastante fino e delicado, por dentro da pele, a sutura é chamada de intradérmica e é retirada entre uma semana ou quinze dias depois, quando o médico apenas puxará uma das pontas.

Apesar desse cuidado, a pele da paciente pode reagir de forma diferente da esperada, conforme propensão do seu organismo e a cicatriz pode inflamar ou se transformar em uma cicatriz hipertrófica ou queloide.

A cicatriz hipertrófica é apenas um engrossamento da cicatriz comum, mas o queloide é uma cicatriz volumosa que pode ocorrer mais facilmente em determinadas partes do corpo, como a barriga, o lóbulo da orelha, braços e tórax. Pode surgir espontaneamente ou após uma lesão do tecido ou infecção, inclusive podendo ocorrer sem que o fator desencadeante seja notado.

As raças negras e orientais apresentam mais comumente esse problema, mas, nas raças brancas também pode acontecer.

Como pode ser tratado este tipo de cicatriz?

A princípio, são usados no tratamento dos queloides, cremes e pomadas à base de corticóides e, se estes não apresentarem melhoras, é feita então, uma infiltração com agulhas finíssimas com substâncias para que a cicatriz volte ao normal, mesmo depois de muito tempo. É importante que o processo de cicatrização esteja concluído para que se comece alguma correção da cicatriz, o que não acontece antes de seis meses da cesariana. Às vezes, certas cicatrizes são consideradas queloideanas, mas voltam ao normal espontaneamente com o passar do tempo, não necessitando intervenção.

Após um ano, outras substâncias podem ajudar a apagar a cicatriz, como o ácido retinóico ou outras usadas em peeling local, feito por dermatologista. Havendo um “afundamento” na área da cicatriz, alguns recursos modernos, como as injeções de ácido de hialurônico, podem tornar o relevo homogêneo e estimular a produção de colágeno nas camadas profundas da pele. Também há aparelhos que usam luzes e laser, quando sobra alguma linha indesejável ou ainda vasos avermelhados no fundo da cicatriz.

Cuidados após a cesariana para prevenir o surgimento de queloides

  • Continuar usando uma fita de micropore ou silicone sobre a cicatriz, mesmo após a retirada dos pontos, por até trinta dias, para reduzir a tensão na região, evitando o desenvolvimento de queloide ou cicatriz hipertrófica;
  • Procure não pegar sol, pois os raios estimulam a irritação da cicatriz. Caso contrário, o filtro solar é fundamental, especialmente nas que tem propensão ao desenvolvimento do queloide, como negras e asiáticas.

Veja mais!