Por Pollyana Batista em 09/01/2017

O verão chegou e com ele o perigo de muitas doenças. Isso acontece graças ao clima quente e úmido que facilita a proliferação de vírus e aumenta as probabilidades de contágio. Além das doenças que atacam o nosso organismo, existe também os problemas provocados pela exposição excessiva do sol.

O médico José Ribamar Branco, infectologista de uma rede de hospitais, fala sobre as principais doenças de verão e o que fazer para se prevenir delas.

Dengue, chikungunya e zica

Fotos: depositphotos

Sem sombra de dúvida, essas são as três enfermidades mais perigosas que costumam se proliferar durante a estação mais quente do ano. Elas são causadas pelo mosquito Aedes aegypti, que usa a água limpa dos temporais de verão para desovar.

O Ministério da Saúde já fez o alerta: em 2017, os números da chikungunya devem crescer ainda mais em relação a 2016, quando foram 251 mil casos da doença registrados. Desses, 14 pessoas morreram em decorrência dos sintomas da infecção.

Por isso, o médico alerta: “é preciso estar duas vezes mais atento a febres, manchas e dores no corpo, que podem ser sintomas de dengue, zika e chikungunya”. O especialista ainda lembra que é preciso eliminar todos os focos da doença e usar repelentes.

Micoses

Problemas relacionados à pele são comuns no verão. As micoses são predominantes nesse sentido, pois o calor e a umidade facilitam a proliferação de fungos. O médico José Ribamar Branco explica: “as partes afetadas são geralmente as mais quentes e úmidas, uma vez que oferecem as condições ideais para a reprodução dos fungos. O verão favorece este processo, pois a temperatura corporal tende a aumentar e expõe-se mais a ambientes molhados”.

Diante disso, é preciso secar com cuidado todas as partes do corpo e evitar o compartilhamento de toalhas e calçados. Além de evitar sapatos fechados nos dias muito quentes e não andar descalço em lugares públicos.

Insolação e Desidratação

A insolação acontece quando a pele é exposta muito tempo ao sol. A pessoa pode apresentar febre, falta de ar, enjoo e até desmaio. A pele costuma ficar vermelha e com sinais de queimaduras. Para evitar esse problema, você deve se proteger ao máximo dos raios UVA com cremes de proteção solar, chapéus e roupas que cubram as áreas mais expostas.

Já a desidratação ocorre quando o corpo perde muito líquido na forma de suor, urina, fezes e saliva. “Para evitar o problema, é importante consumir líquidos frescos, alimentos leves, vestir-se com roupas leves e ficar, preferencialmente, em ambientes com sombra e arejados”, explica o infectologista.

Veja mais!