Por Ana Ligia em 11/07/2017

A menstruação é algo que divide opiniões: para umas mulheres o período é a representação de fertilidade, do bom funcionamento do corpo e de que não aconteceu nenhuma gravidez. Mas grande parte do público só consegue enxergá-la como um momento de inchaço, dores, cólicas e, é claro, da temida Tensão Pré-Menstrual (TPM).

Para quem encara o “sinal da mãe natureza” como um verdadeiro inimigo, os avanços da ciência permitiram o que, por muito tempo, parecia ser algo utópico: a escolha de não menstruar.

Segundo o ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, Renato Oliveira, suspender a menstruação é um direito da mulher e que o médico especialista deve analisar a situação respeitando as características e desejos de cada uma.

“A prescrição de qualquer método deve considerar a segurança para cada paciente conforme os critérios de elegibilidade da Organização Mundial de Saúde (OMS). Assim, a procura médica é fundamental para evitar os riscos da automedicação”.

Deseja suspender a menstruação? Tire suas dúvidas sobre o processo aqui

Foto: depositphotos

Suspender a menstruação faz mal à saúde?

A suspensão da menstruação pode ser uma forma de tratar algumas doenças. “Para o mioma, por exemplo, o possível sangramento intenso pode ser controlado pela suspensão da menstruaçãoNo caso da endometriose, a qual se caracteriza pela presença de tecido de dentro do útero, denominado endométrio, implantado fora da cavidade, pode cursar para algumas pacientes durante sua menstruação com intensas dores, diarreia e até mesmo sangue na urina. Nesta situação, a suspensão seria uma excelente alternativa para aquelas pacientes que não desejam gravidez. Ressaltando que a endometriose também está relacionada com a infertilidade”, reitera.

Os critérios de escolhas dos métodos anticoncepcionais em relação aos riscos para cada paciente não difere pelo fato de a paciente desejar ou não menstruar. “O útero não é um filtro que precisa eliminar algo. A menstruação é a consequência da falha do preparo do organismo para uma gravidez que não ocorreu. Mulheres que optaram por ter muitos filhos também não apresentam muitas menstruações. Além dos benefícios citados, o fato de não menstruar diminui o risco de câncer de endométrio”.

Suspender a menstruação gera infertilidade?

Para quem deseja suspender a menstruação, mas têm medo de ficar infértil, o especialista revela que isso não passa de um mito. “É muito importante frisar que os métodos hormonais não causam infertilidade permanente. A interrupção do método e o retorno dos ciclos menstruais sugere o retorno à fertilidade.

No entanto, há outros fatores que podem associar-se á dificuldade de engravidar, como a idade. Dessa forma, não é o fato de ter usado 10 a 15 anos de anticoncepcional, por exemplo, que dificulta a gravidez. Mas o fato de ter esse tempo a mais para despertar o real desejo reprodutivo”, contemporiza o especialista.

Veja mais!