Por Pollyana Batista em 13/01/2017

Você sabe qual é a causa de morte mais comum no muito inteiro? Se você pensou em câncer ou violência, passou longe. São as doenças cardiovasculares as que mais levam pessoas a óbito em todo o planeta.

Somente no Brasil, uma pessoa é vitimada fatalmente por um infarto, AVC ou insuficiência cardíaca a cada dois minutos!

A nutricionista Cintya Bassi explica como é possível prevenir problemas do coração apenas mudando hábitos alimentares. Saiba quais são os vilões e amigos coração.

Quais são os vilões do coração?

Inúmeras situações podem contribuir para o desenvolvimento ou agravamento de uma patologia cardíaca. A hipertensão, diabetes, colesterol elevado, tabagismo, estresse e genética são fatores de peso. Em relação à alimentação, ela pode agravar a condição de pessoas que possuem esses problemas, sendo um componente decisivo.

Conheça quais são os alimentos vilões e amigos do coração

Foto: depositphotos

Quais são esses alimentos?

A alimentação rica em sal e gorduras é a vilã número um. A exemplo dos enlatados, frios, embutidos, queijos amarelos, carnes defumadas, salgadinhos e pratos industrializados prontos. “Além desses, o consumo de álcool, gorduras e açúcar também não é aconselhável pois eles podem gerar descontrole na pressão arterial, alteração no ritmo cardíaco, enrijecimento das artérias, problemas renais e obesidade”, explica a nutricionista Cyntia.

E quais são os alimentos amigos do coração?

“Os alimentos que favorecem a saúde do coração são as frutas, verduras, legumes, queijos magros, peixes, carnes e aves magras, alimentos integrais e ricos em fibras, óleos vegetais, soja e cacau”.

Esses são alimentos considerados cardioprotetores, pois reduzem o colesterol ruim, a pressão arterial e as triglicérides. Uma pessoa que tem sua alimentação baseada nesses ingredientes dificilmente terá trombos que impedem a circulação sanguínea.

Como posso substituir o sal nos alimentos?

“Utilizar vários temperos ao mesmo tempo pode mascarar o real sabor do prato e contribuir para a sensação de que o sal faz falta. É importante saber escolher e preparar. Por exemplo, o alho contém uma substância chamada alicina que é associada a uma melhor elasticidade dos vasos sanguíneos”.

A especialista também sugere o uso do sal light que tem menos sódio e mais potássio. Entretanto, ela faz o alerta que pessoas com problemas nos rins devem evitar o consumo dessa substância.

É fácil se acostumar com a ausência do sal?

A nutricionista Cintya Bassi menciona que uma pessoa comum demora até três meses para se acostumar com um cardápio com menos sal, mas que é importante insistir. “Para estimular esse processo, em 2013, entrou em vigor uma determinação do Ministério da Saúde que solicita a redução de sódio nos alimentos processados no Brasil”, conclui a profissional.

Veja mais!