Por Marianna Feiteiro em 31/12/2013

As primeiras rugas aparecem na pele por volta dos 30 anos de idade. Fenômeno natural que ocorre tanto em homens quanto em mulheres, elas são resultados dos movimentos repetitivos da musculatura do rosto.

Como prevenir rugas depois dos 30

Foto: Reprodução

Causas e fatores agravantes

Quando falamos, sorrimos, choramos ou realizamos qualquer outro tipo de expressão, a pele do rosto fica marcada em determinadas áreas. Como a pele jovem é elástica, seu aspecto se normaliza rapidamente assim que voltamos à expressão “normal”. Porém, com o passar dos anos, de tanto exigirmos que o mesmo músculo se movimente de determinada maneira, essas marcas passam a ser permanentes, formando as conhecidas rugas de expressão.

As áreas que mais movimentamos são as primeiras a apresentarem rugas, como na lateral dos olhos (exigida quando sorrimos) e entre o nariz e a boca (exigida quando falamos). Outros fatores internos e externos também contribuem para o surgimento das marcas. Predisposição genética, fumo, estresse e exposição excessiva ao sol podem acelerar o processo.

Enquanto a pele seca tem maior propensão às rugas finas, a cútis oleosa é mais vulnerável às marcas entre o nariz e a boca e na testa. Portanto, ambas necessitam igualmente de cuidados e tratamentos.

Cigarro é um dos fatores que contribuem para o envelhecimento precoce da pele

Foto: Reprodução

O que evitar

O uso de cosméticos anti-idade, bem como de atitudes que garantem a saúde da pele, é recomendado desde cedo, mas muitas pessoas só iniciam os cuidados a partir dos 30 anos. É comum que, nesta fase, muitas mulheres iniciem o uso abusivo de cremes e ácidos buscando retardar o envelhecimento cutâneo. Porém, é importante notar que esta atitude pode agravar ainda mais o processo e acabar sendo um tiro no pé.

O excesso de cremes anti-idade na pele acima dos 30 anos torna o rosto envelhecido. A atitude pode agravas rugas, marcas de expressão, olheiras e manchas, além de fazer com que a pele fique seca, opaca e áspera.

Aos 30: inicie o uso de cremes anti-idade, mas sem exagerar

Foto: Reprodução

No que apostar

O ideal é manter as atitudes corriqueiras de proteção à pele e investir em um tratamento específico de uso contínuo, que retarde o processo de envelhecimento. Para isso, o ideal é consultar um dermatologista e encontrar a fórmula que melhor funciona no seu caso.

Os cosméticos mais indicados são aqueles que estimulam a produção de colágeno e elastina, garantindo, assim, a elasticidade da pele. Ativos como ácido retinoico e retinol promovem uma suave esfoliação da pele, realizando um peeling facial, que faz com que a pele antiga seja removida e substituída por uma nova e saudável. Já os cremes enriquecidos com vitamina C têm ação antioxidante. Loções que contêm DMAE, argireline ou tensine produzem o chamado “efeito cinderela”, que aumenta a tonicidade e viço da pele e causa o estiramento.

Além dos cosméticos, nunca se esqueça do protetor solar diário e procure limpar, tonificar e hidratar a pele duas vezes ao dia.

Veja mais!