Por Pollyana Batista em 29/03/2018

Trançar os cabelos é um costume antigo. Segundo a maquiadora e cabeleireira Ariel Mainardi, o penteado existia há quase quatro mil anos antes da Era Cristã.

Hoje, vamos aprender a fazer uma trança tipo espinha de peixe volumosa. Quem ensina é a youtuber Jéssica Belcost, direto do seu canal. Com 240 mil visualizações, a ex-modelo revela os truques mais cobiçados por quem deseja arrasar.

Fazendo uma trança espinha de peixe volumosa

Fque atenta ao passo a passo de Jéssica Belcost para fazer o penteado.

Em cinco passos é possível fazer a trança espinha de peixe

Esse tipo de penteado pode ser usado em ocasiões diversas (Foto: Reprodução YouTube/Jéssica Belcost)

1. Separe seu cabelo em duas mechas. “Essa é a grande dica para esse penteado, você vai trabalhar somente com duas mechas”;

2. Pegue uma mecha da parte de traz da primeira mecha e outra mecha da parte de traz da segunda mecha;

3. Troque-as de lugar uma com a outra para formar uma letra X;

4. Agora você vai repetir os passos 2 e 3 até que chegue na ponta do cabelo;

5. Truque: quando terminar a sua trança você começa a puxar as laterais da trança para dar um aspecto mais volumoso aos cabelos.

Veja também: Trança de coração no passo a passo

A blogueira afirma: “pode parecer difícil de fazer, mas eu garanto que não é. Basta você dar uma treinadinha frente ao espelho e você está pronta para fazê-la para casamentos e formaturas”.

A história da trança

O primeiro povo a usar tranças nos cabelos foram os africanos. O estilo escolhido por eles é chamado de nagô. O penteado não era questão de vaidade, mas sim para identificar as tribos entre si. Milhares de ano depois, o movimento hip-hop adotou o estilo.

Outro estilo de trançar o cabelo que ficou conhecido foi o egípcio. A musa inspiradora seria Cleópatra. O penteado era tão valorizado na região que muitas vezes adornavam até as cabeças dos mortos. O ano era 3.000 a.C.

Veja tambémTrança-tiara no passo a passo

A trança Celta também fez história. Por volta de 750 a.C., esse povo caprichava no visual e os cabelos não podiam ficar de fora.

Depois de Cristo não faltaram civilizações que adotaram as tranças para proteger os cabelos da poeira e das pragas, mas também como recurso estético. As gregas lançaram a moda (que resiste até hoje) de fazer tranças ao redor da cabeça e até os deuses gregos a faziam em suas barbas.

Na Idade Média, as europeias usavam bastante o cabelo preso e no alto da cabeça. Muitas vezes para deixar tudo mais gracioso, as tranças eram feitas para compor os coques.

Por fim, duas regiões distintas do mundo também adotaram o visual. A primeira foi a China que considerou o tamanho da trança como sagrado. Tanto que cortá-la dava pena de morte. Já os índios americanos trouxeram para as Américas esse jeito diferente de arrumar os cabelos.

Veja também: Lutadora de boxe inspira mulheres com charmosos estilos de tranças

Confira o vídeo com o passo a passo aqui

Veja mais!