Publicado por Katharyne Bezerra

Em um determinado período a cada 30 dias, algumas mulheres vivem um verdadeiro “tormento” em suas vidas, a chamada menstruação. Fluxo de sangue natural, mas que se torna um “pesadelo” antes e durante o seu aparecimento. Porém, se não for tomado os devidos cuidados nessa época, o pós também pode se tornar um problema.

Tensão pré-menstrual, a famosa TPM, além das cólicas e do incômodo que alguns absorventes provocam. Esse é o estado que as mulheres sempre vivenciam quando estão menstruadas. Por isso, quanto maior o conforto, melhor para o bem-estar feminino. E é por essa razão que o absorvente interno é tão procurado no mercado.

Se colocado corretamente, não incomoda e não permite o vazamento do fluxo, e ainda assim não tem contraindicações de tipos de corpo. Porém, cuidados devem ser tomados ao usar o tampão, caso contrário, o incômodo não vai embora junto com a menstruação.

Absorvente interno tem a função de obstruir a saída do sangue e absorver esse fluxo

Foto: Reprodução/ internet

Como é usado o absorvente interno?

Aplicado dentro da vagina, o absorvente tem a função de obstruir a saída do sangue e absorver esse fluxo. É aplicado em casa e, ao introduzi-lo, a mulher precisa deixar o cordão para fora, a fim de facilitar a retirada do mesmo.

Os tamanhos variam do mini, médio, o grande e até o supergrande, e devem ser escolhidos de acordo com a quantidade do fluxo característico de cada mulher.

Se utilizado de forma errada, o tampão pode trazer inúmeros prejuízos para a saúde da mulher. Ultrapassando o tempo máximo do uso, que é de quatro horas, pode provocar infecções graves no interior da vagina.

Consequências do mau uso do absorvente interno

O perigo dos absorventes internos não está em suas composições, mas sim na forma como ele é usado. Além de confortável, esta opção é segura, não deixando o fluxo de sangue sair. Mas se usado de maneira errada, ao invés de aliado, torna-se um verdadeiro inimigo da saúde feminina. Veja a seguir quais os problemas que estão relacionados ao uso inadequado do tampão:

  • Síndrome do choque tóxico: Essa é a situação mais perigosa. Recorrente do mau uso do produto, é responsável por várias mortes de mulheres. Se desenvolve através de uma bactéria que em pequenas quantidades é normal do organismo feminino, a chamada staphylococcus aureus. Porém, a proliferação intensa, decorrente do acúmulo de fluxo preso na vagina por muito tempo, produz toxinas em excesso, classificada como a síndrome do choque tóxico;
  • Infecções: Assim como no caso da síndrome, infecções diversas podem estar associadas ao acúmulo de sangue por tempos prolongados dentro da vagina. Para evitar esses futuros problemas, troque o absorvente a cada quatro horas ou até mesmo antes, se for o caso;
  • Ressecamento e feridas: O uso sem controle do absorvente interno e fora dos períodos menstruais pode desenvolver ressecamento na parede vaginal, uma vez que o algodão do produto pode absorver o muco cervical, uma proteção natural das mulheres. Ocasionando o aparecimento de feridas;
  • Alteração do pH vaginal: Reduz a imunidade da região vaginal, deixando o organismo feminino propício ao surgimento de bactérias e doenças;
  • Contaminação: Higiene ao colocar o absorvente interno é muito importante. Caso contrário, o produto é introduzido com a presença de micro-organismos, que podem desenvolver inflamações no interior da vagina;

Dicas para manter o organismo saudável

O absorvente interno pode ser usado – sem medo – para tomar banhos de piscina, de mar, de rios, entre outros. Se colocado corretamente, também é confortável e seguro para essas ocasiões. Algumas dicas podem te ajudar a usar melhor este produto:

  • Procure um especialista em saúde feminina para saber qual o tamanho ideal para seu corpo e seu fluxo;
  • Troque-o a cada quatro horas ou sempre que for preciso para que o fluxo não vaze e para evitar infecções e doenças mais sérias;
  • Lave bem as mãos antes de manusear e introduzir o absorvente na vagina;
  • Só use para dormir se você não se importar de levantar para fazer a troca. Nunca passe uma noite inteira sem substituir o absorvente interno;
  • Mantenha a cordinha do tampão sempre para fora da região vaginal, assim é melhor de retirá-lo.

Veja mais!